News

Google vai desenvolver pesquisas com IA para detecção de distúrbios oculares degenerativos

O Google DeepMind, unidade de inteligência artificial da Alphabet com sede em Londres, anunciou uma parceria com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido para desenvolver pesquisas e avaliar se os computadores podem ser treinados para detectar problemas oculares degenerativos para prevenir a cegueira.

O DeepMind vai usar informações de uma base de dados com cerca de 1 milhão de exames oculares de anônimos para “ensinar” os computadores a identificar deficiências oculares. O objetivo é dar aos médicos uma ferramenta digital para que possam ler um teste de scan de olho e reconhecer os problemas rapidamente.

A detecção precoce de distúrbios oculares relacionados a diabetes e degeneração macular relacionada à idade pode ajudar a evitar a perda de visão em muitas pessoas, de acordo com um comunicado do DeepMind Technologies, nesta terça-feira, 5, em razão do anúncio do projeto com o Moorfields Eye Hospital NHS Foundation Trust.

O Google adquiriu a DeepMind Technologies em 2014 para expandir o conhecimento em inteligência artificial. Fundada em Londres em 2012 por Demis Hassabis, Shane Legg e Mustafa Suleyman, a Deepmind usa algoritmos de aprendizado geral para aplicações como simulações, comércio eletrônico e jogos. Os algoritmos permitem que os computadores aprendam e descubram coisas por conta própria. Por exemplo, o DeepMind ensinou computadores como derrotar um campeão complexo jogo de estratégia Go and Play, um clássico dos anos 1970 do videogame da Atari “Space Invaders”.

Separadamente, a DeepMind anunciou a criação de um conselho de revisão de cuidados com a saúde para examinar e avaliar o trabalho com o NHS. Composto por nove membros, o conselho inclui um defensor da segurança de pacientes, um editor da revista médica The Lancet e outros profissionais da área de saúde e representantes de fundos de tecnologia.

O relacionamento da DeepMind com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido tem sido criticado por alguns defensores da privacidade, que se dizem preocupados que os dados sejam utilizados para outros fins, além de questões médicas. A DeepMind garante que os dados serão usados apenas para fins de saúde.

O anúncio da colaboração Hospital Moorfields Eye é a segunda parceria da DeepMind com o NHS. Outro projeto usa um aplicativo de smartphone para permitir que os médicos visualizem rapidamente exames médicos relacionados a função renal de pacientes.