News

IBM e Universidade Rice exploram uso de robô e IoT para ajudar idosos e cuidadores

A IBM Research anunciou a criação do protótipo de um robô multitarefa (IBM MERA) feito em colaboração com a Universidade de Rice, EUA. Ele tem um aplicativo habilitado para Watson  projetado para ajudar os idosos e seus cuidadores. Pesquisa da IBM Research também tem planos para trabalhar com  Cooperativa Sole  e um médico independente na Itália, usando sensores para monitorar as atividades do dia a dia dos moradores.

De acordo com as Nações Unidas, o número de pessoas com 60 anos ou mais  é projetado para crescer 56%  em todo o mundo até 2030. Para ajudar a melhorar a vida dos idosos resultante deste rápido crescimento demográfico, a IBM Research abriu um novo “Aging in Place” ambiente em sua ThinkLab em Austin, no EUA,  projetado para imitar os tipos de interações que os mais velhos podem ter em suas casas. Aproveitando o IBM MERA  a Internet das Coisas e outras tecnologias cognitivas,  pode estudar como dados de atmosférico, movimento e sensores de queda, áudio e olfativos poderiam ser usados pelo ecossistema de cuidadores e potencialmente melhorar a saúde e bem-estar físico, que podem sofrer alterações devido as condições ambientais.

“Agora é a hora de investir em cuidar, proteger e capacitar os profissionais tendo em vista o envelhecimento da população, para que as pessoas tenham vidas mais independentes,” disse Arvind Krishna, vice-presidente sênior da IBM Research. “Nossa nova pesquisa sobre ‘cognição-incorporada’, que pode combinar dados em tempo real, gerados por sensores, irá explorar como fornecer aos médicos e cuidadores insights que poderiam ajudá-los a tomarem melhores decisões de cuidados para seus pacientes.”

Robô assistente

A IBM criou o protótipo com alunos e professores de elétrica, engenharia de computação e psicologia da Universidade Rice, e está sendo hospedado dentro do ambiente de pesquisa sobre envelhecimento. O MERA será usado para ajudar a estudar formas inovadoras de medir os sinais vitais do indivíduo, tais como a frequência cardíaca, variabilidade da frequência cardíaca e frequência respiratória; responder perguntas básicas relacionadas com a saúde; e, determinar se um indivíduo vem caindo, lendo os resultados de um acelerômetro.

Rodando no IBM Cloud e uma interface de robô Peper do Softbank, o IBM MERA usa tecnologias Watson  e  a Câmera Vitals, uma tecnologia desenvolvida pela Universidade de Rice que calcula sinais vitais pela gravação do vídeo do rosto da pessoa. Essas tecnologias permitem ao IBM MERA obter leituras  rápidas, não invasivas, de respiração de um paciente com problemas de coração com medições que podem ser feitas várias vezes por dia.  Combinado com a solução de speech to text integrada com APIs, a câmera pode também ver se ocorreu uma queda e mandar mensagens com informações para os cuidadores.

O MERA também é projetado para interagir com os indivíduos usando os recursos do IBM Watson de fala para texto, texto para fala e linguagem Natural classificadas por APIs, e assim permite estudar como eles poderiam receber respostas para questões relacionadas com a saúde (por exemplo, “Quais são os sintomas de ansiedade?” ou “Qual é o meu ritmo cardíaco?”).

Criação de residências inteligentes para 3ª idade

Na Itália, a Cooperativa Sole planeja trabalhar com a IBM para criar espaços inteligentes para os seus residentes da 3ª idade que irão alavancar a Internet das Coisas e computação cognitiva para identificar mudanças nas condições físicas ou anomalias de leituras ambientais,  destina-se a informar os cuidadores sobre mudança dessas situações.

Por exemplo, monitorando leituras atmosféricas, tais como os níveis de dióxido de carbono e monóxido de carbono, a Cooperativa usará tecnologia IBM para determinar, por exemplo, a que horas as pessoas devem se levantar e ir para a cama, ou que tipo ou quantas refeições que comem e a que horas. Integrando dados provenientes de outras fontes, incluindo bancos de dados tradicionais e fluxo de dados do sensor, a Cooperativa será equipada com visão holística de seus moradores.

“Este novo sistema irá ser desenhado para ajudar nossos moradores viver com segurança e de forma independente por tanto tempo quanto possível,” disse Roberta Massi, presidente   Cooperativa Sole.