News

Instituições de saúde podem melhorar ROI com solução de apoio à decisão clínica

A Wolters Kluwer viabilizou pela primeira vez no Brasil um estudo dos impactos financeiros da utilização do recurso de apoio à decisão clínica UpToDate nos hospitais. A iniciativa, conduzida pela Forrester Consulting, baseou-se em entrevistas realizadas com representantes de dois hospitais brasileiros – um público e outro privado, ambos com vários anos de experiência no uso da solução; e em análises do cenário nestas instituições nos últimos três anos. O UpToDate é um recurso de apoio à decisão clínica criado por médicos e baseado em evidências que contempla mais 9.700 recomendações e 24 especialidades médicas.

Além do ROI (retorno sobre o investimento) de 302%, estimado de acordo com os benefícios mensuráveis – aumento da produtividade/eficiência dos médicos e eliminação de encaminhamentos desnecessários – aos custos relacionados à implementação da ferramenta, o estudo identificou ainda um consenso entre todos os médicos ouvidos a respeito de que, se usado corretamente, o UpToDate pode melhorar a qualidade do atendimento ao paciente.

Os entrevistados mencionaram também como pontos positivos da ferramenta: maior satisfação dos profissionais, redução no tempo de internação e do número de exames de diagnósticos solicitados.

Para chegar a esses resultados e ilustrar os custos e benefícios quantificáveis, a Forrester criou hipoteticamente uma instituição médica composta construída com base nas características dos hospitais entrevistados -Hospital de Clínicas de Porto Alegre (instituição pública), e Hospital São Rafael (instituição privada sem fins lucrativos), em Salvador.

Nesta organização hipotética, que poderia representar tanto um hospital público como um privado, toda a equipe médica usa o UpToDate a partir de qualquer lugar e em qualquer dispositivo, de maneira integrada ao sistema Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP).

Benefícios 

Um dos pontos de impacto destacados pela pesquisa e que foram observados nessa organização composta são os ganhos de produtividade que a ferramenta agrega, que podem chegar a R$ 930 mil em três anos.

A Forrester estima que cada médico economize uma média de 10 minutos por revisão de tópico, com o UpToDate. Já os entrevistados ressaltam que os recursos de apoio à decisão podem reduzir entre uma e quatro horas o tempo gasto pelas equipes médicas para definição dos diagnósticos, identificação dos sintomas, seleção dos medicamentos e conhecer possíveis interações medicamentosas. Essa vantagem foi atribuída à agilidade e facilidade no acesso às informações mais recentes e atualizadas.

Outro possível impacto mencionado pelos entrevistados foi o fato da ferramenta evitar vários encaminhamentos desnecessários, poupando recursos financeiros dos hospitais. Curiosamente, um dos entrevistados estimou que em cardiologia, aproximadamente 20% dos encaminhamentos não são absolutamente necessários e podem teoricamente ser evitados com a ajuda de uma ferramenta confiável baseada em evidências.

O estudo presume que para uma organização que realize 12 mil encaminhamentos por ano, 0,5% dos encaminhamentos podem ser evitados no primeiro ano de utilização e, em função do aumento da adoção da ferramenta, essa taxa seja de 1% nos dois anos seguintes.

Levando em consideração que, em média, cada um dos encaminhamentos custa R$ 700,00 e fazendo alguns ajustes para compensar as incertezas das suposições, a Forrester chegou à conclusão que as reduções de custo durante três anos poderiam chegar a R$ 154 mil, somente com esse índice.

Além disso, em total concordância às impressões dos hospitais em nível mundial, a pesquisa feita no Brasil mostrou que o recurso de apoio à decisão clínica da Wolters Kluwer é muito respeitado pela comunidade médica e esse foi um ponto comum a todos os entrevistados. Segundo eles, por se tratar de uma fonte confiável de informações, robusta e fácil de usar, pôde ser incorporado amplamente às atividades diárias e, na medida em que foi integrado com o PEP, teve aceitação ainda maior. Os hospitais observaram também um crescimento na adoção do recurso por parte dos profissionais de saúde, a partir do momento em que o UpToDate foi implementado em dispositivos móveis.

 

Sobre o Autor

Claudiney Santos

Claudiney Santos

Diretor Editorial da TI Inside

Adicionar Comentário

Clique aqui para fazer um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *