News

Óculos de realidade virtual e bengala com laser ajudam pacientes com Parkinson a caminhar

Voltar a caminhar depois de ter o equilíbrio corporal comprometido pelo avanço da doença de Parkinson parecia um sonho distante para milhares de pessoas que sofrem com a síndrome degenerativa, ainda sem cura. Ajudar esses pacientes a caminhar com segurança novamente é a proposta do Andador Virtual GaitAid e da bengala Laser Cane.

Com uso da tecnologia de realidade virtual aumentada, descoberta em pesquisas realizadas pela NASA, os óculos ajudam o observador a andar e estabilizar seu movimento. Basicamente, eles simulam um caminho virtual que coordena e ritma a passada, desencadeando uma resposta neurológica. Segundo os especialistas, a terapia feita com o uso do dispositivo pode reestruturar o cérebro para contornar as áreas danificadas pela doença de Parkinson, e outros distúrbios do movimento.

Andador virtual
Andador virtual

Os benefícios já foram comprovados na prática. O advogado Jayme Cavalcanti convive com o mal há 20 anos. “Depois de duas semanas de uso do equipamento, voltei a andar melhor”, diz ele, que treina meia hora por dia, sete dias por semana. “Facilitar o dia a dia dos pacientes é fundamental, pois estamos longe da cura definitiva”, afirma o neurocirurgião do Instituto de Psiquiatria do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da USP, e um dos maiores especialistas no tema, Erich Fonoff. O artigo sobre estudo feito no HC foi publicado no International Archives of Medicine.

Já a bengala LaserCane, indicada também para diversos doenças neurológicas que afetam a marcha, permite, através de uma linha vermelha projetada no chão, que o paciente dê passos mais longos. “A pista visual incentiva o paciente a interromper os episódios de congelamento, aumentando, assim, o comprimento das passadas”, afirma a dra. Carolina Souza, fisioterapeuta do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de seis milhões de pessoas convivem com a síndrome em todo mundo e a prevalência da doença deve dobrar, em 20 anos, devido ao envelhecimento da população. Os dois equipamentos são comercializados no Brasil pela importadora Delta Medical.

Patrocínio Gold

Patrocínio Silver

Patrocínio Bronze

 

Patrocínio WIFI

Apoio

Parceiro de Mídia

Parceiros Institucionais

Realização