News

Wolters Kluwer lança Medi-Span Clinical para reduzir erros de prescrição de medicamentos

Close Up Of A Male Doctor Using Laptop And Prescribes A Medicine

Mais de dois milhões de ocorrências relacionadas a medicamentos ocorrem anualmente nos EUA, de acordo com a FDA (Food and Drug Administration), causando ou contribuindo para mais de 124 mil mortes ao ano e gerando custos superiores a U$16 bilhões.  No Brasil, em 2015, a cada três minutos, duas pessoas morreram em função de problemas durante a hospitalização, como por exemplo, relacionados à aplicação de medicamentos ou infecções hospitalares.

A Wolters Kluwer Clinical Drug Information, empresa de serviços de informação e soluções para os provedores de cuidados com a saúde, está lançando o Medi-Span Clinical no Brasil. A solução ajuda a destravar os sistemas de Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), para que forneçam aos provedores de cuidados com a saúde informações relacionadas às decisões sobre medicamentos, municiando-os com alertas sobre potenciais interações medicamentosas, duplicidade de terapias, erros de dosagem e contraindicações.

A Wolters Kluwer Clinical Drug Information firmou parcerias com as soluções de PEP líderes no Brasil para ajudar a reduzir erros de medicação. O Medi-Span integra-se tanto com as soluções da Phillips como da MV, possibilitando cruzar as referências e visualizar dados relacionados às medicações dos pacientes, evitando riscos potenciais, incrementando a segurança da medicação, melhorando resultados e reduzindo custos. A solução otimiza o funcionamento dos sistemas Philips Tasy e MV Soul.

Em pesquisas recentes, clientes da empresa reportaram os seguintes resultados:

Para 86% a integração ajudou os profissionais da saúde a reduzirem erros de medicação.

Para 86% contribui para melhorar os resultados dos pacientes.

Mais de 50% das organizações reportaram diminuição de custos.

95% dos usuários economizaram tempo – uma média de 30 minutos por dia.

A solução possibilita a obtenção da acreditação JCI e a certificação HIMMS por meio de suporte à decisão clínica baseado em conhecimento e integrado ao PEP,  e de identificadores que suportam a interoperabilidade e ajudam a conectar suas instituições a outros provedores de cuidados com a saúde.