News

Chega ao mercado o meuDNA: primeiro teste 100% brasileiro que desvenda a ancestralidade

Ter informações genéticas sobre a sua ancestralidade, com dados de até oito gerações passadas (o que corresponde aos tataravôs dos seus bisavôs), sem precisar sair de casa. Essa facilidade acaba de se tornar disponível com o lançamento do meuDNA, único kit para teste genético 100% brasileiro, desenvolvido pela Mendelics, primeiro laboratório do Brasil especializado em diagnósticos genéticos para doenças raras e câncer através da técnica de Sequenciamento de Nova Geração (NGS).

O processo é simples. A pessoa interessada compra o kit pelo site www.meudna.com, recebe em casa uma caixa contendo um cotonete apropriado e um pequeno tubo, realiza a coleta na parte interna da bochecha e reenvia a amostra direto à Mendelics. e

“O DNA está presente em todas as células do corpo. Ao receber a amostra, nosso time de cientistas lê e traduz o que está escrito neste código. Em até seis semanas, a pessoa recebe um relatório detalhado mostrando sua origem genética, comparada com populações ao redor de todo o mundo”, explica Cesário Martins, executivo responsável pelo lançamento na Mendelics.

O anúncio do novo exame é a primeira iniciativa, após a Mendelics fechar uma nova rodada de investimento de R$ 45 milhões, com valuation acima de R$ 500 milhões, liderada pela MCLC4, Family Office do empresário Laércio Cosentino, em conjunto com o ex-ministro do Desenvolvimento Luiz Fernando Furlan, o fundo TMB3 e mais outros cinco novos investidores. A empresa, que une saúde e tecnologia, mantém o EBTIDA positivo há dois anos e vem registrando crescimento expressivo de 85% ao ano.

“Nosso principal objetivo, desde o surgimento do laboratório em 2012, é o de democratizar o acesso às informações genéticas, para que cada pessoa possa ter a oportunidade de saber mais sobre si e cuidar melhor de sua saúde. A Mendelics é uma empresa de Tecnologia focada no diagnóstico genômico inteligente”, destaca David Schlesinger, CEO e cofundador da Mendelics.

“Nestes sete anos de existência a Mendelics atingiu a liderança no sequenciamento de DNA no Brasil, fruto da determinação de implantar um ecossistema para viabilizar a Medicina Personalizada em nosso país. Foi a primeira empresa a adotar o exoma como padrão de sequenciamento com objetivo de sequenciar uma única vez cada ser humano e a propor o sequenciamento de recém-nascidos com o Teste da Bochechinha”, destaca Laércio Cosentino, chairman e investidor líder, também fundador do grupo Totvs.

DNA + Inteligência Artificial

Em breve, o teste do meuDNA terá novas funcionalidades, além da análise de ancestralidade. A ideia é estender a facilidade ao usuário final para que ele possa receber também uma análise genética completa do seu DNA, capaz de detectar predisposição para uma infinidade de doenças tratáveis como câncer, diabetes, colesterol alto, além de apontar quais medicamentos são mais indicados ou não de acordo com o mapa genético de cada pessoa. Também será possível identificar mutações genéticas para o planejamento familiar, indicando potencial risco de um futuro filho do casal portar alguma doença genética.

A Mendelics já fez mais de 70 mil sequenciamentos de DNA, sendo o laboratório com maior capacidade de processamento de amostras da América Latina, que permite analisar, por mês, 10 mil exomas (parte do genoma que concentra quase a totalidade dos 20 mil genes humanos). A empresa já concentra uma base de dados com mais de 1 petabyte de informações sobre os pacientes, que servem para aprimorar o algoritmo responsável por ajudar no diagnóstico.

Para que isso seja possível, o laboratório é equipado com sequenciadores Illumina HiSeq e o mais moderno da atualidade, o NovaSeq 6000. Com eles é possível que centenas de amostras de pacientes sejam analisadas simultaneamente, tornando o processo mais eficiente e acessível. Além disso, é utilizado um programa de inteligência artificial desenvolvido pela própria Mendelics, vencedor do prêmio MIT de inovação, o Abracadabra. O software é continuamente atualizado com novas descobertas e publicações científicas sobre doenças genéticas, tornando a análise cada vez mais precisa, ágil e eficaz.

A equipe da Mendelics é formada por bioinformatas (profissionais de pesquisa, desenvolvimento e inovação que trabalham diretamente com os dados médicos e biológicos), que utilizam algoritmos computacionais para processar as informações que são interpretadas por computadores com alta capacidade de processamento. Essas máquinas são capazes de decodificarem um alto volume de dados brutos gerados após o sequenciamento genético.  O corpo médico é composto por médicos geneticistas, responsáveis por analisar as alterações genéticas de cada exame realizado. Ao todo, são mais de 100 funcionários que trabalham na Mendelics.

“Se voltamos aos anos 90 e lembramos que um sequenciamento genético de uma pessoa custava US$ 3 bilhões, temos a certeza que estamos no caminho certo para a democratização desse procedimento vital para todos. Estamos ampliando nossa parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS), com alguns projetos iniciais em algumas regiões de São Paulo, como a oferta gratuita do Teste da Bochechinha como complemento do tradicional teste do pezinho, ampliando de sete para quase 300 possíveis doenças detectadas em bebês recém-nascidos”, complementa o CEO da Mendelics.