Escolha uma Página

Os parceiros do COVID-19 Therapeutics Accelerator anunciaram nesta quarta-feira, 1º, a doação de US$ 20 milhões para três instituições – a Universidade de Washington, a Universidade de Oxford e o Instituto de Imunologia La Jolla – para financiar ensaios clínicos visando a identificar imunoterapias altamente potentes para a pandemia de COVID-19.

As doações marcam os primeiros investimentos do COVID-19 Therapeutics Accelerator, uma iniciativa de larga escala lançada pela Fundação Bill & Melinda Gates, a Wellcome e a Mastercard para acelerar o desenvolvimento e o acesso a terapias para o coronavírus. Atualmente não existem quaisquer antivirais ou imunoterapias de amplo espectro disponíveis para prevenir ou tratar a doença.

“Essas subvenções para instituições líderes em seus campos avançarão nossa compreensão de como os medicamentos e anticorpos existentes podem contribuir para combater a pandemia que estamos enfrentando em todo o mundo”, disse Mark Suzman, diretor executivo da Fundação Bill & Melinda Gates. “Esses investimentos iniciais por meio do COVID-19 Therapeutics Accelerator trarão rigor ao estudo dessas possíveis soluções. O caminho a seguir será baseado em ciência sólida e dados compartilhados”.

Além disso, o financiamento anunciado recentemente por doadores governamentais e filantrópicos foi acrescentado ao fundo do Accelerator. A Iniciativa Chan Zuckerberg alocou US$ 25 milhões e o governo do Reino Unido alocou £ 40 milhões na semana passada. Esses adicionais permitirão que o Accelerator continue subsidiando o estudo de medicamentos reaproveitados e investigue compostos biológicos para atividades de combate ao coronavírus. É necessário haver mais financiamento para conduzir as terapias promissoras pelo desenvolvimento e aumento de escala.

Estudo de medicamentos reaproveitados para prevenir infecções

Dois dos estudos anunciados recentemente financiarão estudos de dois medicamentos bem estabelecidos, a hidroxicloroquina e a cloroquina, que possuem conhecidas propriedades antivirais. Esses medicamentos têm sido usados ​​para tratar a malária e uma variedade de doenças reumatológicas há mais de 50 anos. Os ensaios têm como objetivo determinar se esses medicamentos são eficazes como terapia preventiva pré e pós-exposição ao COVID-19. Embora essas drogas mostrem uma promessa inicial, são necessárias rigorosas evidências científicas para a tomada de decisões sobre como, onde e dentro de quais populações usá-las nessa pandemia.

A Universidade de Washington realizará um ensaio clínico em vários locais no oeste de Washington e na área da cidade de Nova York, em colaboração com a Faculdade de Medicina da Universidade de Nova York, investigando se a hidroxicloroquina pode efetivamente impedir ação do COVID-19 em pessoas já expostas à infecção. O estudo cadastrará até 2.000 homens e mulheres assintomáticos que sejam contatos próximos de pessoas com diagnóstico confirmado ou pendente do vírus. Os participantes serão aleatoriamente designados para tomar hidroxicloroquina ou um placebo por duas semanas, e as amostras serão coletadas e testadas diariamente para confirmar novas infecções por COVID-19 nos dois grupos.

A Sandoz, uma divisão da Novartis, doou as doses de hidroxicloroquina necessárias para realizar o estudo. A inscrição dos participantes começará em abril e os resultados estarão disponíveis no final de 2020.

A Mahidol Oxford Tropical Medicine Research Unit (MORU) liderará um estudo profilático controlado por placebo de cloroquina e hidroxicloroquina na prevenção do COVID-19 em profissionais de saúde em risco, funcionários da linha de frente e outros grupos de alto risco. Pelo menos 40.000 participantes na Ásia e na Europa serão escolhidos aleatoriamente para receber cloroquina (países do Leste Asiático), hidroxicloroquina (Reino Unido e Europa) ou um placebo revestido por película correspondente como profilaxia diária por três meses.

O projeto de um ano, conhecido como COPCOV, tem como objetivo determinar definitivamente se esses medicamentos podem prevenir o COVID-19 e, assim, proteger a vital força de trabalho de assistência médica. A inscrição dos participantes começará em abril e os resultados iniciais estarão disponíveis até o final do ano.

Nick Cammack, líder do COVID-19 Therapeutics Accelerator na Wellcome, disse: “O investimento em pesquisa é a única estratégia para o mundo sair do COVID-19. Drogas, vacinas e diagnósticos são vitais para salvar vidas, acabar com essa pandemia e impedir que ela aconteça novamente. Agora é a hora de avaliar se os medicamentos existentes serão seguros e eficazes. Convidamos outras pessoas a se unirem a nós nesse esforço global coletivo. Investir agora, em grande escala, no COVID-19 Therapeutics Accelerator é vital para mudarmos o curso dessa pandemia”.

Avançando as terapias imunológicas

Além de financiar ensaios com medicamentos, o Accelerator fornecerá US$ 1,73 milhão ao La Jolla Institute for Immunology para estabelecer um Consórcio de Imunoterapia para Coronavírus, conhecido como CoVIC. O esforço reunirá cientistas de todo o mundo e lhes permitirá compartilhar e avaliar anticorpos candidatos lado a lado em uma análise cega e multidisciplinar para identificar combinações terapêuticas ideais. As terapias com anticorpos podem ser usadas para proteger os profissionais de saúde da linha de frente, contatos e outras pessoas expostas, bem como tratar aqueles que já ficaram doentes.

“Os investimentos de hoje são um próximo passo importante no compromisso do acelerador terapêutico de identificar e dimensionar tratamentos para combater o COVID-19”, disse o Vice-Presidente da Mastercard Mike Froman. “Para fornecer soluções terapêuticas para esta pandemia global, principalmente para os mais vulneráveis, precisamos acelerar o processo de pesquisa e desenvolvimento por meio de um esforço de financiamento colaborativo do setor privado, organizações filantrópicas e governos. Congratulamo-nos com a participação de organizações adicionais que podem contribuir com os recursos necessários para ajudar a colocar um fim nesta crise”.

Sobre o COVID-19 Therapeutics Accelerator

O Therapeutics Accelerator é uma iniciativa lançada pela Bill & Melinda Gates Foundation, Wellcome e Mastercard para acelerar a resposta à epidemia de COVID-19, identificando, avaliando, desenvolvendo e ampliando os tratamentos. Os parceiros estão comprometidos com o acesso equitativo, incluindo a disponibilização de produtos a preços acessíveis em ambientes com poucos recursos. O COVID-19 Therapeutics Accelerator desempenhará um papel catalítico, acelerando e avaliando medicamentos e produtos biológicos novos e reaproveitados para tratar pacientes com COVID-19 no prazo imediato e outros patógenos virais no longo prazo.