News

Monte Sinai constrói supercomputador para medicina de precisão e genômica

O Mount Sinai Health System recebeu uma doação de US$ 2 milhões do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA para desenvolver um supercomputador de precisão e genômica em medicina.

O computador de dados ômicos (dados oriundos do genoma, transcriptoma, miRnoma, proteoma, metaboloma, toponoma, entre outros) permitirá que os pesquisadores do Monte Sinai explorem questões científicas complexas mais rapidamente e acelerem novas soluções para uma ampla gama de distúrbios médicos.

O novo supercomputador, será usado por 61 pesquisadores básicos do Monte Sinai, representando mais de US$ 100 milhões em financiamento do NIH, além de colaboradores em 75 instituições externas.

“O supercomputador provou ser uma ferramenta vital para pesquisas inovadoras em uma ampla gama de campos, mas, como o corpo docente do Monte Sinai continua a crescer, há um crescimento simultâneo em iniciativas de pesquisa, exigindo investimento em um novo supercomputador com capacidade computacional e espaço de armazenamento suficientes para apoiar esta atividade ”, disse Patricia Kovatch, diretora adjunta sênior de computação científica e ciência de dados da Escola de Medicina Icahn em Mount Sinai.

Também se espera que o novo equipamento facilite a aplicação da pesquisa em bioinformática na área da saúde e permita a medicina baseada em dados.

A capacidade de computação e investimento do Mount Sinai na construção dessa infraestrutura se traduzirá em análises genéticas e populacionais mais robustas, expressão gênica, aprendizado de máquina e investigações de biologia estrutural e química e resultará em novas ideias e avanços em uma ampla gama de doenças, incluindo Alzheimer, autismo, influenza, câncer de próstata, esquizofrenia e transtornos por uso de substâncias.

Também facilitará a pesquisa sobre as causas subjacentes de distúrbios cardíacos, pulmonares, sanguíneos e do sono, além de fornecer o armazenamento necessário para os dados de sequenciamento de todo o genoma, outros dados “ômicos” e moleculares, comportamentais, de imagem, ambientais e clínicos para o projeto.