News

Odontotech UDlab conecta dentistas a laboratórios de próteses

 

O mercado odontológico brasileiro é um dos maiores do mundo. Segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), o Brasil é o campeão mundial em número de dentistas, com cerca de 319 mil profissionais atuantes. Este segmento movimenta mais de R$38 bilhões e cresce, em média, 7% anualmente. Dentro dos meios de atuação inseridos na odontologia, existe um que passava despercebido pela tecnologia: pedidos de próteses para laboratórios.

Criada por executivos de mercado e dentistas do Ateliê Oral, consultório símbolo da odontologia de excelência no Brasil, a UDlab chega ao mercado com uma solução inédita. Ela automatiza todos os pedidos de próteses: da descrição e desenho, passando pelo pagamento, até a data de entrega para o dentista.

“Em anos na cadeira do consultório percebi o quanto era difícil estabelecer uma conexão assertiva com laboratórios. Pedidos feitos em papel e prazos que não são cumpridos fazem parte de uma rede de processos passíveis de erros. Do lado dos laboratórios, a ociosidade de aparelhos, inadimplência e dependência de poucos consultórios é um problema que persiste”, explica o CEO e idealizador da UDlab, Luis Calicchio.

A plataforma alinha toda a operação B2B (business to business), como a descrição de especificidades técnicas, tal qual cor, escala, quantidade e material. Além disso, é possível enviar opções de foto e vídeo da arcada dos pacientes para que seja possível visualizar o contexto como um todo. Após a descrição do pedido, o pagamento pode ser realizado também no aplicativo, com o prazo de entrega já definido. Tudo isso nas mãos dos dentistas.

“Se algum profissional entra de férias e não realiza pedidos, o laboratório perde uma de suas fontes de renda. Nossa ideia é levar pedidos constantes para estes locais e, por isso, aumentar sua rentabilidade mensal”, diz o empreendedor, que tem mais de 15 anos de atuação clínica e é membro do conselho do Ateliê Oral.

A ideia da startup veio de uma dor real, sentida dentro do laboratório próprio do Ateliê, o Precision. “Fomos a campo conversar com diversos dentistas e técnicos e percebemos que as dores eram as mesmas. Vimos que teríamos um mercado gigante para explorar se levássemos inovação, tecnologia e educação aos colegas”, conta Calicchio.

O Brasil é o segundo maior do mundo em número de implantes, perdendo apenas para os Estados Unidos. São mais de 2 milhões de próteses feitas anualmente no país com valor médio de R$ 400 por dente. O tamanho do mercado potencial de atuação da startup é superior a R$ 10 Bilhões.

Todos os laboratórios registrados na UDlab fazem parte do Conselho Federal de Odontologia. Com uma base de avaliação, estes técnicos conseguem ter feedbacks de pontos para serem aperfeiçoados. Eles seguem, portanto, mais munidos na busca por oferecer cada vez mais uma odontologia de excelência. Além disso, a startup leva toda sua metodologia de ensino e usabilidade do aplicativo e gestão aos laboratórios parceiros, atuando na formação técnica e atualização destes profissionais.

A UDlab, que já captou alguns milhões de reais em investimentos, monetiza suas operações a partir de uma comissão recebida pela intermediação entre as duas pontas.

Para o futuro, a UDlab já está evoluindo a interatividade da plataforma para diversificar fontes de receita e beneficiar o ecossistema. É um modelo de automatização sem precedentes no mercado de odontologia mundial, 100% brasileiro.

O aplicativo da UDlab já está disponível para Android e iOS para um número controlado de testers com previsão de liberação para o mercado geral ainda no segundo semestre de 2019.