News

Projeto de Elon Musk pretende conectar cérebro à internet

Elon Musk, fundador da Tesla, pretende tornar a inserção de uma conexão de computador no cérebro das pessoas, de forma segura e indolor. Na noite de terça-feira, 16, a Neuralink, uma empresa na qual Musk investiu US$ 100 milhões, descreveu um robô semelhante a uma máquina de costura que pode implantar fios ultrafinos profundamente no cérebro. A empresa espera começar a trabalhar com seres humanos a partir do segundo trimestre do ano que vem, informou o Wall Streeet Journal.

A empresa afirma que o sistema eventualmente será capaz de ler e escrever grandes quantidades de informação. Mas, como em muitos outros empreendimentos de Musk, como naves espaciais ou túneis futuristas, um dos maiores desafios pode ser que seus cientistas correspondam à sua grande visão.

Musk, o bilionário chefe executivo da montadora de carros elétricos Tesla, famosa por alegar que “quer morrer em Marte, não apenas no impacto”, tem a reputação de fazer coisas ousadas, além de fazer afirmações mais ousadas que aumentam a credulidade.

Em um briefing na segunda-feira, os executivos da Neuralink reconheceram que tinham um “longo caminho a percorrer” antes de começarem a oferecer um serviço comercial. Mas eles estavam prontos para discutir publicamente o seu trabalho.

Um pequeno processador fica na superfície do crânio e captura informações de eletrodos que se encaixam em um pequeno fio que pode penetrar vários centímetros no cérebro.O pequeno processador fica na superfície do crânio e captura informações de eletrodos que se sentam ao longo de um pequeno fio que pode penetrar um número de centímetros no cérebro.

Um pequeno processador fica na superfície do crânio e captura informações de eletrodos que se assentam ao longo de um pequeno fio que pode penetrar vários centímetros no cérebro.

“Queremos que este fardo do modo invisível saia de nós, para que possamos continuar construindo e fazendo coisas como pessoas normais, como publicar artigos”, disse Max Hodak, presidente da Neuralink e um dos fundadores da empresa.

Ela planeja trabalhar com neurocirurgiões na Universidade de Stanford e possivelmente em outras instituições para realizar experimentos iniciais. Jaimie Henderson, professora de neurocirurgia em Stanford e especialista no tratamento da epilepsia e do uso de um tratamento conhecido como Estimulação Cerebral Profunda, é conselheira da Neuralink,